Fato ou fake news: como saber se uma notícia é falsa ou verdadeira


Taysa Coelho
Taysa Coelho
Jornalista

Como saber se o link que recebeu no WhatsApp ou viu no Facebook é fake news? Apesar de notícias falsas não serem novidade, o termo fake news tem se popularizado nos últimos anos. Isso acontece devido à facilidade de compartilhamento de conteúdos de sites, fotos e vídeos através de redes sociais e apps de bate-papo.

Muitas vezes, assuntos de teor duvidoso são passados adiante sem que as pessoas confirmem sua veracidade. E, depois de tanto serem replicados, passam a ser creditados como reais, mesmo que não sejam. Para ajudar, reunimos dicas e sites que ajudam a identificar se uma notícia é falsa ou não.

1. Leia a notícia

Rapaz de óculos olha concentrado para tablet

A maior parte das fakes news viraliza graças a seus títulos apelativos, que chamam a atenção do leitor. Isso também faz com que muita gente compartilhe o link mesmo sem sequer ler o que diz a notícia. Portanto, uma recomendação importante é ler, pelo menos um pouco do conteúdo, antes de decidir se quer passá-lo adiante.

O site FactCheck.org, especializado em desvendar notícias falsas, lembra mesmo em reportagens legítimas o título sem sempre traduz o artigo e pode gerar falsas expectativas.

2. Investigue o autor

Rapaz faz pesquisa no Google pelo celular

Veículos sérios de comunicação costumam ter artigos assinados pelos autores. Se a matéria duvidosa tiver uma assinatura, faça uma breve pesquisa e descubra se o autor escreveu outras reportagens.

Desconfie ainda se a descrição da pessoa for impressionante demais. Também pode ser um sinal de alerta se em seus contatos não constar um e-mail corporativo, mas algo genérico, como @gmail.com ou @outlook.com.

3. Preste atenção à URL

Verifique se o endereço do site apresenta detalhes suspeitos para se parecer uma página legítima de credibilidade. Um exemplo é o abcnews.com.co, que tenta se passar pela abcnews.com.

O detalhe pode facilmente não ser percebido entre os desavisados. Para induzir os leitores ao erro, a página inclui até mesmo o logo do veículo de comunicação original.

4. Tenha um olhar crítico

Duas mulheres olham para o mesmo celular

O site da empresa de segurança Avira destaca que as notícias falsas costumam ser criadas para parecerem mais reais do que as próprias notícias reais. Ao mesmo tempo, tentam cativar o leitor chocando-o ou apelando para um lado emocional.

Por isso, antes de se deixar levar pelo que lê, é importante fazer alguns questionamentos. Por exemplo: por que aquele conteúdo foi escrito ou será que outros sites estão noticiando a mesma coisa?

Se fontes oficiais ou estatísticas forem citados, faça uma busca para confirmar. O resultado de uma simples pesquisa no Google pode surpreender.

5. Qualidade importa

Menina olha espantada para o celular

Um texto mal-escrito pode ser um sinal de alerta para uma notícia falsa. Confira se há muitos erros ortográficos ou de digitação. Palavras em letras maiúsculas e pontuação dramática, repleta de reticências e pontos de exclamação também não costumam ser comuns em veículos de comunicação reconhecidos.

6. Confira a data de publicação

Conferiu todos os aspectos acima e não viu nada suspeito? É possível que a notícia seja verdadeira, mas tenha sido criada há alguns meses ou anos. Um assunto tirado de contexto pode fazer toda a diferença.

7. Analise as imagens

Não apenas as notícias podem ser falsas, mas as imagens também. E são cada vez mais comuns em tempos de aplicativos de edição que podem ser usados por qualquer um para alterar fotos.

Portanto, preste atenção em detalhes, como sombras e bordas estranhas ou itens distorcidos, como a linha do horizonte ou uma parede. Uma dica é fazer uma pesquisa reversa no Google, na qual pode encontrar a versão original, se for uma foto montada.

E não é só. Apps de deepfake são capazes de criar vídeos nos quais simulam pessoas falando ou agindo, muitas vezes de uma forma como jamais fariam. Conforme vai se desenvolvendo, a tecnologia fica mais realista e os conteúdos acabam viralizando como se fossem reais.

Nesses casos, é preciso ficar atento a detalhes, como falta de naturalidade no piscar dos olhos, movimento dos lábios ou a presença de sombras em lugares errados. Assim como no caso das notícias, identificar a fonte do vídeo recebido e descobrir se é de fato confiável.

8. Peça ajuda aos especialistas

Há diversos sites, nacionais e internacionais, especializados em desvendar fake news. Juntas, essas ferramentas atuam na luta contra a desinformação, ao apurar notícias suspeitas que viralizaram. A seguir, listamos os principais deles:

Nacionais

Internacionais

AppGeek recomenda:

Taysa Coelho
Taysa Coelho
Movida pela curiosidade, adora conhecer coisas novas e acredita que, por isso, se tornou jornalista. No tempo livre, gosta de ir à praia, ler, ver filmes e maratonar séries. Carioca formada pela UFRJ, atualmente vive em Portugal, país que adotou.